Burger King é condenado a pagar R$ 1 mi por servir hambúrguer aos funcionários

A rede de fast-food Burger King foi condenada a pagar, em Goiânia, uma indenização coletiva de R$ 1 milhão para mais de 580 trabalhadores por servir hambúrgueres da loja no lugar de refeições balanceadas. A vitória veio após três anos de negociação judicial e compreende funcionários e ex-funcionários que trabalharam no estabelecimento entre setembro de 2013 e janeiro de 2015.

A ação coletiva foi movida pelo Sindicato Intermunicipal dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares no Estado de Goiás (Sechseg). Para resgatar o dinheiro, basta acessar o site do sindicato e ver se o seu nome consta na lista. Se sim, o trabalhador deve comparecer em horário comercial na sede da entidade, localizada na Rua 20, nº 283, levando documentos pessoais e dados de uma conta bancária para a transferência do valor.

O valor da indenização depende do tempo que a pessoa trabalhou na empresa.

Segundo o advogado do sindicato, as unidades do Burger King na capital descumpriram a cláusula do auxílio-alimentação que está na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria Bares e Restaurantes.

De acordo com o documento, empresa é obrigada a fornecer uma refeição com os ingredientes mínimos, como: arroz, feijão, carne, verdura e um tipo de salada.

“Recebemos várias reclamações de funcionários que diziam comer todos os dias a refeição que estava no cardápio da rede, ou seja, fast food. Isso é um descumprimento da norma coletiva, por isso, gera multas e indenizações trabalhistas. Sem falar que a atitude da empresa prejudica a saúde do trabalhador”, disse o advogado.

O presidente da entidade, Marlos Luz, avaliou que é uma “falta de respeito uma empresa com anos de experiência não cumprir uma norma básica da CCT”. “Nós percebemos que dos 586 trabalhadores, a maioria são jovens e estavam em seu primeiro emprego”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *