A abordagem das relações trabalho-saúde tem experimentado retrocesso que pode ser observado quanto à sua apreensão, em termos disciplinares, adotada nas pesquisas  à involução que caracteriza a proposta programática 3 a qual privilegia o assistencialismo nas ações da rede de saúde do Sistema Único de Saúde  SUS) ao que se soma a fragilidade do movimento sindical.

[pdf-embedder url=”https://diesat.org.br/wp-content/uploads2/2019/02/02.pdf”]

 

 

Francisco A. C. Lacaz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.